Arquivo | outubro, 2009

Síndrome das pernas abertas

21 out

Será que algum homem de plantão pode, por favor, me explicar por que causa, motivo, razão ou circunstância os homens insistem em sentar  com as pernas abertas – melhor, arreganhadas!!! – como se fossem dar a luz à bebês siameses?

É impressionante!!! São pouquíssimos homens que conseguem sentar sem jogar uma perna para cada lado, esmagando ou empurrando quem quer que esteja a seu lado.

Hoje sentou ao meu lado um rapaz que faz parte deste time…os “parideiros”. Gente, as pernas dele tomaram praticamente todo o banco – e olha que ele era pequenininho…mas muuuuuito espaçoso! – me obrigando a ficar espremida no cantinho do banco.

Tudo bem, eu entendo que os homens, geralmente, têm pernas maiores e é mais difícil se ajeitar nos bancos dos ônibus mas…PQP…não precisa exagerar, não é?!?

Por favor rapazes, tentem prestar mais atenção à algumas atitudes. Vcs querem sentar com as pernocas abertas, tudo bem. Mas há um limite! Não amasse a pessoa ao seu lado, ok?

Ahhh…e nada de usarem a desculpa de que o “brinquedinho” precisa de espaço…

Anúncios

Adoooro essa música

13 out

Pagu

Cantora: Rita lee

Mexo, remexo na inquisição
Só quem já morreu na fogueira
Sabe o que é ser carvão
Uh! Uh! Uh! Uh!…

Eu sou pau prá toda obra
Deus dá asas à minha cobra
Hum! Hum! Hum! Hum!
Minha força não é bruta
Não sou freira
Nem sou puta…

Porque nem!
Toda feiticeira é corcunda
Nem!
Toda brasileira é bunda
Meu peito não é de silicone
Sou mais macho
Que muito homem
Nem!
Toda feiticeira é corcunda
Nem!
Toda brasileira é bunda
Meu peito não é de silicone
Sou mais macho
Que muito homem…

Ratatá! Ratatá! Ratatá!
Taratá! Taratá!…

Sou rainha do meu tanque
Sou Pagu indignada no palanque
Hanhan! Ah! Hanran!
Uh! Uh!
Fama de porra louca
Tudo bem!
Minha mãe é Maria Ninguém
Uh! Uh!…

Não sou atriz
Modelo, dançarina
Meu buraco é mais em cima
Porque nem!
Toda feiticeira é corcunda
Nem!
Toda brasileira é bunda
Meu peito não é de silicone
Sou mais macho
Que muito homem…

Nem!
Toda feiticeira é corcunda
Nem!
Toda brasileira é bunda
Meu peito não é de silicone
Sou mais macho
Que muito homem…(2x)

Ratatá! Ratatatá
Hiii! Ratatá
Taratá! Taratá!…

Não tem jeito…

10 out
P.S. I still love you
___________________________________________
Eu gostaria de reagir, mas te amo.
Eu gostaria de não chorar, mas te amo.
Eu gostaria de enganar, mas te amo.
Eu gostaria de odiar, mas te amo.
Eu gostaria de ignorar, mas te amo.
Eu gostaria de esquecer, mas te amo.
Eu gostaria de abandonar, mas te amo.
Eu gostaria de desejar coisas ruins, mas te amo.
Eu gostaria de ser diferente, mas te amo.
Eu gostaria que você fosse diferente, mas te amo.
Eu gostaria de me vingar, mas te amo.
Eu gostaria de morrer, mas te amo.
Eu gostaria de matar, mas te amo.
Eu gostaria de sumir, mas te amo.
Eu gostaria de não errar, mas te amo.
Eu gostaria de não ser perdoada, mas te amo.
Eu gostaria de não perdoar, mas te amo.
E o Amor sempre será maior do que qualquer sofrer…
E o Amor sempre perdoará e será perdoado…
E o Amor sempre pronunciará a última palavra…
E o Amor sempre será o motivo maior…
E o Amor sempre nos salvará de todos os males…
Simplesmente porque o Amor é a nossa maior ligação com Deus…
E sendo assim, é tudo o que há de mais sagrado neste mundo.
_______________________________________________
Autoria: BB
Obs.: Ganhei esse poema de uma pessoa muito especial!

O ponto de vista do cão

10 out

au-au

Os cientistas começam a desvendar um mistério milenar: como os cachorros veem o  mundo e porque eles são tao apegados a seus donos

Autora: Laura Ming

[…] Apesar de toda nossa convivência com os cães, talvez seja mais simples entender os chimpanzés, primos na árvore da evolução. Os cães percebem o mundo de um modo tão próprio que só pode ser descrito por analogias. Para poder explicar, a psicóloga Alexandra Horowitz tentou imaginar a vida do ponto de vista de um animal cujo sentido principal é o olfato. Para os cães, o cheiro equivale à visão humana. É o primeiro recurso usado para reconhecer o ambiente ao redor. Quando acordam, esses animais farejam a casa para saber se algo aconteceu enquanto dormiam. Dependendo da raça, um cão pode ter entre 200 milhões e 300 milhões de receptores de olfato nas narinas. O nariz humano só tem 5 milhões. Odores imperceptíveis para nós, como os das moléculas de ácido butírico provenientes das células da epiderme, deixadas por uma presa, compõem para os cães um rastro que pode ser seguido com segurança.

O cão tem maior interesse pelo que é cheirado do que por aquilo que é visto. Paisagens que deixam as pessoas boquiabertas só se tornam interessantes para um canino se o vento trouxer algum cheiro significativo. Cheirar o sapato de um recém-chegado, para um cão, é uma experiência que rende informações que o homem não tem como obter sozinho. O animal consegue saber por onde a pessoa andou e com que frequência esteve naquele lugar, se teve contato com outros animais, se fez sexo recentemente, se está tomada pelo medo ou pela ansiedade. O tempo como uma cadeia contínua de eventos nada significa para o cão. Tempo também é cheiro. Essa capacidade funciona como um relógio sem ponteiro: o passado, para um cachorro, significa odor enfraquecido; um fato novo tem fragrância forte. Ele realmente é capaz de prever chuva, como se acredita tradicionalmente. Não se trata de clarividência, e sim da transmissão pelo vento do cheiro da tormenta que se aproxima. “Imagine se cada detalhe de nosso mundo visual tivesse um odor correspondente”, escreveu Alexandra Horowitz. “Para um cão, cada pétala de rosa pode ser diferente, pois foi visitada por insetos que deixaram indícios olfativos de sua presença.” O olfato age até mesmo enquanto os cães dormem. O homem, que tem a visão como sentido primordial, sonha com imagens. Provavelmente, o sonho dos cães é repleto de odores. O costume dos donos e veterinários de lavar os cães com xampus cheirosos é terrível para eles. Funciona como se fosse apagada a memória dos episódios das últimas semanas. “A menor fragrância dos produtos de limpeza é quase um insulto olfativo para o cão”, escreve Horowitz.

Com um nariz tão desenvolvido, os cães se valem de olhos e ouvidos como sentidos complementares. A gama de cores que os cães percebem varia entre o azul, o verde e o amarelo, com menos nuances de tons que as captadas pelo olho humano. Com um número menor de fotorreceptores que o olho humano, eles têm dificuldade em ver objetos próximos. Em compensação, a visão periférica pode ser sensacional em certas raças, chegando a 270 graus (a do homem é de apenas 180 graus). A audição canina é mais sensível e tem um espectro muito maior que a humana. Um ambiente silencioso, como um quarto escuro durante a madrugada, é cheio de ruídos para os cães. Eles percebem sons muito baixos, como passos do outro lado da rua ou o movimento dos ratos entre as paredes, e também sons inaudíveis para o homem, como as ondas de alta frequência emitidas por relógios digitais. Da mesma forma, um cão pode localizar a origem de um som mais rápido que um ser humano. Os dezoito ou mais músculos especializados permitem ao cão dobrar, girar, levantar e baixar as orelhas. No homem, apenas seis músculos sustentam as orelhas.

Os cães descendem dos lobos, e a separação se deu há tão pouco tempo que as duas espécies ainda podem cruzar e gerar descendentes. Mas as diferenças já são enormes. O cérebro do animal doméstico é, em média, 20% menor que o de seu ancestral. Talvez para sobreviver entre os homens eles não necessitem da astúcia de um lobo silvestre. De acordo com Alexandra Horowitz, a ideia de que o dono precisa mostrar que é uma espécie de macho alfa não faz sentido. Os cães também não formam matilhas. Não existe entre eles um macho dominante como há entre os lobos. Talvez o cão veja no homem um companheiro, e não necessariamente um chefe. O animal domesticado se tornou especialista nas reações humanas. Ele percebe o sentido pela entonação da voz e é capaz de diferenciar o elogio da reprimenda. Da mesma forma, ele olha para o rosto humano em busca de informações, orientações e segurança. No final, é mesmo o melhor amigo do homem.

rosa

 

caes

Fonte: Revista Veja (07/10/09)

A pior deficiência está no coração

9 out

solidariedade

Eu li esse texto no site Solidariedade Animal e não pude deixar de colocar aqui. Eu chorei quando li…é perfeito!

“Há alguns anos, nas Olimpíadas Especiais de Seattle, nove participantes, todos portadores de deficiência mental, alinharam-se para a largada da corrida dos 100m rasos. Ao sinal, todos partiram com vontade de dar o melhor de si, terminar a corrida e vencer. Mas uma das garotas tropeçou, caiu e começou a chorar. As outras oito ouviram o choro, diminuíram o passo e olharam para trás. Então, se viraram e voltaram. Todas elas. Uma das meninas com Síndrome de Down ajoelhou, deu um beijo na menina e disse: “Pronto, agora vai sarar!”. E todas as nove competidoras deram os braços e andaram juntos, até a linha de chegada. O estádio inteiro levantou e os aplausos duraram vários minutos…
Os atletas eram portadores de deficiência mental, mas com certeza, não eram deficientes em seus espíritos… Lá no fundo, todos nós sabemos que o importante nesta vida, mais do que ganhar sozinho, é ajudar os outros a vencer, mesmo que isso signifique diminuir os nossos passos…”

Quem dera todos nós conseguíssemos ter pelo menos uma pequena parte da integridade e da solidariedade que essas pessoas tiveram. A pior deficiência está no coração…

Parábola

8 out

parabola

Esta é uma história de quatro pessoas: TODO MUNDO, ALGUÉM, QUALQUER UM e NINGUÉM.

Havia um trabalho importante a ser feito e TODO MUNDO tinha certeza de que ALGUÉM o faria.

QUALQUER UM poderia tê-lo feito, mas NINGUÉM o fêz.

ALGUÉM zangou-se porque era um trabalho de TODO MUNDO.

TODO MUNDO pensou que QUALQUER UM poderia fazê-lo, mas NINGUÉM imaginou que TODO MUNDO deixasse de fazê-lo.

Ao final, TODO MUNDO culpou ALGUÉM quando NINGUÉM fez o que QUALQUER UM poderia ter feito.

“Não espere que os outros tenham iniciativa. Faça vc primeiro! Tome vc a iniciativa! Tome vc a atitude! Ser expectador da vida é a pior forma de morrer.” Paloma

” Olhei para os animais abandonados no abrigo…os renegados da sociedade humana. Vi em seus olhos amor e esperança, medo e horror, tristeza e a certeza de terem sido traídos. Eu me revoltei e rezei: ” Deus, isso é horrível! Porque o Senhor não faz nada a respeito?” E Deus respondeu: “Eu criei você.” Autor desconhecido

Ser humano, praga global

8 out

Hoje eu e minha amiga Elaine tivemos uma discussão sobre pragas. Digamos que – para variar…rsrs – nossa opinião sobre o assunto é um pouco diferente.

Eu considero o ser humano uma praga mundial e, de acordo com ela, pragas são somente os animais (não racionais no caso, já que o ser humano também é um animal) como ratos, pombos, baratas…

Abaixo, segue a definição de praga que encontrei no dicionário da língua portuguesa:

Praga s.f. 1. Imprecação de males contra alguém; maldição. 2. Grande desgraça; calamidade. 3. Inseto ou doença que ataca plantas ou animais. 4. Erva daninha. Adj. e s.m. 5. Pessoa ou coisa importuna, maçante.

Baseada na definição acima, ainda mantenho a minha opinião: o ser humano é uma praga – e das piores – que destrói, machuca, polui, extingue, mata, maltrata, ataca…enfim, causa danos que nem a pior praga “animal” consegue causar.

Mais uma coisa: as atuais pragas existentes (vou usar como exemplo os pombos, já que eles foram o ponto central da “discussão” com minha amiga) só existem por causa da população.

O lixo jogado em locais inapropriados é uma das maiores causas para essa proliferação. Se me perguntarem se sou a favor de um extermínio de pombos, minha resposta é NÃO! Por um motivo muito simples: isso não vai resolver o problema!

Para que haja uma diminuição dos pombos na cidade a população precisa, antes de mais nada, mudar suas atitudes. Parar de jogar lixo na rua seria um bom início para termos uma cidade mais bonita, limpa e agradável. Com essa e outras atitudes tenho certeza de que os animais que se aproveitam da ignorância humana terão seu número reduzido.

Claro, ainda assim teremos a grande praga: o homem! Mas para resolver esse problema a solução é muito mais complexa.